V Semana Cultural das Bibliotecas de Paraisópolis na batida dos tambores

No terceiro dia da V Semana Cultural das Bibliotecas de Paraisópolis, teve música, dança, contação de história e doação de livros

Por Flaviane Fernandes

Para algumas crianças de Paraisópolis, a manhã desse dia provavelmente não será esquecida, afinal, não é todo dia que se ouve o som dos tambores despertando a alma, mesmo que essa não queira. O frio deu lugar ao calor, pois o movimento com o corpo na tentativa de acompanhar o ritmo, sai assim, quase que de maneira despercebível.

Ao comando do professor de percussão, Sacuri, o grupo Maracatucando, subiu ao palco, formado por meninos e meninas, eles tocaram e dançaram. A jinga, os balanços e a voz fizeram a todos se lembrar, da própria história. E para os que tinham dificuldade em identificar o país de origem daquele som, a dança Maculelê, ao certo ajudou. Com pedaços de madeiras nas mãos e vestidas com roupas de estampas de animais, ou simplesmente feitas de palhas, as meninas representaram a briga entre as tribos.

Se a intenção era fazer uma troca, algo lembrado por uma das organizadoras da Semana, com certeza funcionou. Pois minutos depois, todos estavam dançando e cantando canções trazidas pelo grupo de Jardim Silveira, Parelheiros.

As atividades continuaram no período da tarde, dessa vez, uma barraca para troca e doação de livros recepcionava os convidados que foram ao espaço Bovespa na rua Iratinga, 84, além é claro, da apresentação musical e contação de história com o grupo Illu Obá De Min

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.