Paraisópolis precisa de ações culturais permanentes

A falta de acesso a estruturas e políticas culturais públicas é um dos principais problemas enfrentados hoje pela população de Paraisópolis.

Mesmo com a urbanização, que nos últimos 5 anos vem transformando a comunidade através de diversas obras, ainda falta uma política cultural definida que envolva todas as esferas de governo (municipal, estadual e federal) e que busque a criação e ampliação de espaços culturais para suprir a enorme demanda e reverter o déficit cultural que hoje existe na comunidade.

De acordo com os levantamentos disponíveis, 97% da população de Paraisópolis não tem  acesso a cultura, o que inclui até o cinema. Além de assustador, esse número destaca ainda mais a falta de políticas para tornar a cultura acessível para a comunidade. Mesmo tendo estruturas culturais dentro do CEU (Através dos espetáculos, exibição de filmes, Teatro e Dança Vocacional) e da ETEC, ainda há poucos espaços culturais públicos dentro da comunidade.

Para tentar reverter esse quadro diversas ONGs, associações e grupos organizados realizam ou já realizaram diversos projetos e iniciativas culturais, como o Barracão dos Sonhos, o Instituto Entreatos (ambos Pontos de Cultura do Governo Estadual), Projeto Einstein na Comunidade (com o Sarau de Paraisópolis, através do ProAc do Governo Estadual) União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (com o Ballet de Paraisópolis – via ProAc e a Orquestra Filarmônica de Paraisópolis através da Lei Rouanet), entre outros. Todos esses projetos são realizados através de editais e leis de incentivos públicos e privados e tem sido a forma de se estruturar um trabalho cultural dentro da comunidade sem uma ação permanente dos governos.

No entanto, é primordial que se amplie esses trabalhos e se criem estruturas capazes de reverter esse cenário. Faltam cinemas, teatros, auditórios, salas de concerto, escolas de música, arte e cinema, museus e bibliotecas em nossa região.

Não somente isso, faltam cursos e escolas profissionalizantes na área cultural pois dentro da comunidade existe uma série de artistas, grupos, bandas e artesãos que não têm a oportunidade de mostrar seu trabalho e se capacitar. Paraisópolis é cheia de talentos e essas estruturas, além de fortalecerem as ações já realizadas, são essenciais para assegurar o pleno desenvolvimento desses artistas, assim como da comunidade.

Se você tem um projeto e não sabe para onde mandá-lo, segue abaixo alguns editais e leis de incentivo que podem te ajudar a concretizá-lo


– Municipal: VAI (Valorização de Iniciativas Culturais)

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/

– Estadual: Proac (Programa de Ação Cultural)

http://www.cultura.sp.gov.br/

– Federal: Lei do Audiovisual, Lei Rouanet

http://www.cultura.gov.br/site/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.