Caixa concede Selo de Sustentabilidade a Moradias do Condominio E e G em Paraisópolis


Complexo de Paraisópolis possui 100 mil habitantes e é uma das maiores comunidades informais do mundo

A Caixa Econômica Federal concedeu, nesta quarta-feira (13), o Selo Casa Azul – Nível Ouro ao projeto dos Condomínios E e G do Complexo Paraisópolis (SP), integrantes do Programa de Aceleração do Crescimento (Urbanização de Favelas). O projeto, apresentado pela prefeitura de São Paulo, possui 171 unidades habitacionais divididas em sete blocos de edifícios e encontra-se, atualmente, em obras.

O “Selo Casa Azul” é o principal instrumento do Programa de Construção Sustentável da CAIXA e tem por objetivo qualificar projetos de empreendimentos habitacionais dentro de critérios socioambientais, que priorizam a economia de recursos naturais e as práticas sociais.

Para a superintendente regional da CAIXA, Cely Mantovani, é uma satisfação que o primeiro Selo Casa Azul CAIXA seja entregue para a comunidade Paraisópolis. “O projeto englobou, de maneira eficiente, os pilares da sustentabilidade econômica, ambiental e muito especialmente o social”, afirmou.

Para conceder o Selo, a CAIXA analisou critérios agrupados em seis categorias: inserção urbana, projeto e conforto, eficiência energética, conservação de recursos materiais, uso racional da água e práticas sociais. De 46 itens analisados, o projeto atendeu a 39 critérios da metodologia do Selo Casa Azul, obtendo assim a classificação Ouro, a mais elevada.

Paraisópolis
Para atendimento da categoria Qualidade Urbana, o projeto foi inserido em malha urbana, em área dotada de serviços e infraestrutura, garantindo à população o acesso fácil ao comércio, escolas, transporte público, áreas de lazer, atendimento de saúde e segurança, etc. Além disso, foram realizadas obras de melhorias no entorno e recuperação de áreas ambientalmente e socialmente degradadas.

No quesito Projeto e Conforto, a proposta utilizou materiais que garantem condições favoráveis de insolação, ventilação e projeto de paisagismo que contempla local para coleta seletiva, espaços para lazer e convívio social. Já no critério Eficiência Energética, está prevista a entrega das unidades habitacionais com lâmpadas econômicas, uso de dispositivos economizadores de energia nas áreas comuns e medição individualizada de gás para garantir a gestão do consumo.

Visando a Conservação dos Recursos Materiais, o projeto foi elaborado dentro dos conceitos da coordenação modular, evitando o desperdício de materiais de construção. Para a redução do consumo e a gestão de água, a proposta prevê a medição individualizada de água e a utilização de bacia sanitária com duplo acionamento, além de arejadores nas torneiras e reguladores de vazão. Essas medidas podem reduzir em até 30% o consumo de água no edifício. O projeto possui também área permeável acima do exigido pela legislação local, garantindo a reposição do lençol freático e reduzindo enchentes.

As ações sociais realizadas no local, além de beneficiar os empregados da obra com ações educacionais e de capacitação, prevêem ações com os moradores dos edifícios e do entorno.

Além do Selo Azul, concedido pela CAIXA, o projeto de Revitalização de Paraisópolis também foi distinguido com um segundo lugar na premiação global de sustentabilidade do Holcim Awards, realizada no mês de abril, em Zurique, na Suíça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.