Sete em cada dez famílias brasileiras se endividaram durante a pandemia

Um estudo apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), braço institucional da ONU, apontou um cenário de endividamento preocupante no Brasil. Sete a cada dez famílias brasileiras se endividaram durante a pandemia e 43,2% dessas famílias não devem conseguir pagar suas dívidas.

 

Diante disso, a economia no Brasil passará por desafios econômicos e sociais já que muitas pessoas poderão enfrentar dificuldades para se inserir ou permanecer no mercado consumidor.  

 

Segundo o estudo, a atuação urgente e efetiva do poder público é necessária para realocar esses consumidores no mercado de trabalho para que eles tenham condições de quitar as dívidas. Sendo a alta no rendimento familiar a única solução para enfrentar os efeitos do superendividamento. 

 

Para auxiliar as famílias nessa recuperação econômica, o PNUD desenvolveu um projeto em conjunto com a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). Foram apresentadas 12 recomendações aos órgãos públicos para enfrentar o endividamento endêmico no Brasil. 


A primeira delas é a regulamentação de um programa de educação financeira no âmbito nacional, que prevê projetos voltados aos jovens no ambiente escolar, à população em geral e a grupos vulneráveis. 

 

Fonte: CNN