Inundações no Brasil podem triplicar no final do século, alerta as Nações Unidas

Na última segunda-feira (28), a Organização das Nações Unidas (ONU) apresentou parte do último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) para governos de todo o mundo, que alerta sobre os riscos climáticos que estão surgindo mais rapidamente e, portanto, tendem a se tornar mais graves em menos tempo.

 

No dia 27 de fevereiro de 2021, o estado do Rio Grande do Sul registrou a maior temperatura de todos os tempos: a temperatura na cidade de Uruguaiana foi de 42,9 graus. Segundo a ONU, os altos níveis de aquecimento poderiam causar um declínio do PIB global de 10% a 23% até o final do século, comparado a um mundo sem aquecimento.

 

Há duas semanas, uma tempestade em Petrópolis (RJ) matou pelo menos 229 pessoas, uma tragédia sem precedentes que ainda está sob investigação. As fortes chuvas já haviam causado danos e mortes nos estados de Minas Gerais, Bahia e São Paulo.

Segundo especialistas, os efeitos da crise climática tendem a afetar cada vez mais os mais vulneráveis.