Americanas e Google criarão endereços digitais na comunidade de Paraisópolis

Com o projeto piloto do Plus Codes na segunda maior favela de São Paulo, moradores poderão ter mais acesso a bens e serviços, e começarão a receber compras on-line da Americanas com endereço próprio na plataforma

Foto: Anderson Jorge / Cria Brasil

Em iniciativa inédita realizada em uma área urbana na América Latina, Americanas S.A., o Google e a startup de logística Favela Brasil Xpress, em parceria com o G10 Favelas, vão disponibilizar endereços digitais aos mais de 100 mil moradores de Paraisópolis, considerada a segunda maior comunidade da cidade de São Paulo. O objetivo do projeto-piloto é possibilitar o acesso dos moradores– e também empresas– da região a alguns serviços e recursos em seu dia a dia, como o atendimento de saúde emergencial e  o recebimento de correspondências e mercadorias, entre outros. Os endereços serão gerados por meio do Plus Codes, uma tecnologia aberta e gratuita desenvolvida pelo Google, e estarão disponíveis para os moradores a partir de maio deste ano.  

Inicialmente, o objetivo é gerar quatro mil endereços digitais até maio e, no segundo semestre deste ano, ampliar este número para 30 mil, alcançando toda a comunidade, que hoje tem cerca de 100 mil habitantes. “Nosso objetivo é usar a tecnologia para permitir que os moradores de Paraisópolis e empreendedores aproveitem o benefício de ter um endereço em áreas nas quais não há um serviço de código postal, promovendo maior acesso a serviços básicos, facilitando a logística e gerando oportunidade de inclusão social e econômica para toda a comunidade”, explica Newton Neto, diretor de parcerias globais do Google para a América Latina.  

A Americanas S.A., que já opera em Paraisópolis desde abril de 2021 com a iniciativa Americanas na Favela – promove a inclusão e a capacitação de moradores de 5 comunidades atendidas -, irá integrar sua plataforma de e-commerce à tecnologia do Plus Codes. Hoje, a companhia já faz entregas na comunidade por meio de uma parceria com a startup Favela Brasil Xpress, e a adoção do Plus Codes poderá dar mais fluidez a esse processo. “O primeiro passo foi colocar a favela de Paraisópolis no mapa do e-commerce. 

Hoje, as nossas entregas são feitas pelos próprios moradores locais, que conhecem toda a região. Apesar de manual, o processo funciona bem e atende à demanda de mais de 1.000 pedidos por dia. Nesse segundo passo, que será implementado até o final do segundo trimestre, vamos integrar a tecnologia do Plus Codes aos nossos sites e apps para padronizar esse mapa, dar mais fluidez à operação e aprimorar a experiência de consumo na favela”, explica Eduardo Fullen, diretor executivo de Tecnologia e Operação da Americanas S.A.. 

O Plus Codes é gratuito e baseado em código aberto, além de ser totalmente integrado ao Google Maps e ao Waze. A tecnologia permite converter os Plus Codes, que são códigos curtos semelhantes a códigos postais, em latitude e longitude, que são as coordenadas informadas nos GPS para localizar endereços. Uma vez de posse de seus endereços digitais, os moradores de Paraisópolis poderão compartilhá-los com outras pessoas e utilizá-los em qualquer serviço que seja compatível com a tecnologia. O processo de coleta de dados em campo, assim como a confecção e fixação de placas com os novos endereços e, posteriormente, a entrega de encomendas aos moradores, ficarão a cargo da Favela Brasil Xpress

 

“Criamos um sistema próprio de logística para incluir as favelas no e-commerce brasileiro. A obtenção dos endereços baseado nos Plus Codes irão facilitar ainda mais, acabando com barreiras que não deveriam existir. Essa parceria além dos benefícios já apresentados vem acompanhada da aplicação de tecnologia, inovação e cooperação para resolver problemas que afetam nossa sociedade por muito tempo.” Completa Giva Pereira, CEO da Favela Brasil Xpress.

Com o projeto piloto, ao realizar um pedido nos e-commerces da Americanas S.A., o morador de Paraisópolis poderá informar o código para garantir a entrega na sua casa dos produtos. A parceria, que inclui ainda a operação logística combinada com o Favela Brasil X Press e a doação de smartphones para a operação pela startup,  integra a estratégia ESG da Americanas S.A. e contribui de forma direta para o ODS – Objetivo de Desenvolvimento Sustentável – 10 da Agenda 2030 da ONU, com foco em reduzir as desigualdades. “Esse projeto reflete na prática o nosso propósito de somar o que mundo tem de bom para melhorar a vida das pessoas. Estamos somando o conhecimento de duas gigantes em seus segmentos, que são a Americanas S.A. e o Google, ao poder de transformação da Favela Brasil Xpress para mudar as realidades”, comenta Bruna Saboia, gerente de sustentabilidade da Americanas S.A. “Além de ampliar o alcance da iniciativa Americanas na Favela, a nova tecnologia eleva a enorme potência que é a comunidade de Paraisópolis, tornando os moradores visíveis aos olhos do mundo”, conta Bruna Saboia. 

Para Milena Leal, diretora de negócios do Google Cloud no Brasil, o projeto em Paraisópolis está alinhado com o objetivo do Google Cloud de apoiar clientes na resolução de desafios que impactam diretamente o negócio. “Nosso papel é oferecer às empresas, além da infraestrutura e segurança, a capacidade de inovar em seus segmentos de atuação e ampliar o acesso a suas plataformas para cada vez mais brasileiros”, destaca Milena. “Estamos felizes em contar com a parceria da Americanas S.A. e da Favela Brasil Xpress neste projeto importante e que terá papel fundamental na inclusão digital dos moradores de Paraisópolis.” 

 

Para que o projeto seja possível, o Google irá disponibilizar acesso à ferramenta AddressMaker – aplicativo gratuito do Android que permite que governos e ONGs criem endereços facilmente usando Plus Codes – para o time da Favela Brasil Xpress, além de treinar a equipe da startup para realizar a coleta de endereços e atualizar o mapa com as vias faltantes.  O Google Cloud, por sua vez, irá fornecer créditos de nuvem para a Americanas S.A., que concentrará os investimentos na operacionalização do projeto na comunidade e entre os entregadores e na integração em seus sites e apps de e-commerce.