A cada 10 assassinatos de mulheres trans no mundo, quatro são no Brasil

Só em 2021, pelo menos 140 pessoas trans foram assassinadas e o estado de São Paulo é onde mais ocorreram essas mortes 

 

Por Talytha Cardoso


A cada dez assassinatos de pessoas trans no mundo, quatro ocorrem no Brasil, o que representa 38,2% das mortes em todo o mundo. É o que revelam os dados do projeto de pesquisa Trans Murder Monitoring (TMM), responsável por coletar e analisar relatórios de homicídios de pessoas trans e com diversidade de gênero no mundo. De acordo com a pesquisa, só o Brasil representa 

 

Só em 2021, pelo menos 140 pessoas trans foram assassinadas no Brasil, sendo 135 travestis e mulheres transsexuais e cinco homens trans e pessoas transmasculinas, segundo o dossiê “Assassinatos e violências contra travestis e transexuais brasileiras em 2021”, divulgado pela  Associação Nacional de Travestis e Transsexuais (Antra).

 

Os dados revelam ainda uma queda no número de assassinatos em comparação ao ano anterior (2020), mas o número ainda é alarmante. A média de assassinatos entre 2008 ( ano em que o levantamento de casos começou) e 2021, é de 123,8. Só entre 2017 e 2021, 781 pessoas trans foram assassinadas. 

 

O estado de São Paulo liderou nas mortes no ano passado com 25 vítimas, Bahia em seguida com 13 e Rio de Janeiro com 12. O mesmo documento levantou também que travestis e mulheres trans na idade de 13 anos eram expulsos de casa, ficando assim mais vulneráveis a todo tipo de violência.

 

Os dados são preocupantes, deixando em evidência a morte precoce dessas pessoas, podendo impactar nas futuras gerações.

 

LEIA TAMBÉM: