Favela Brasil Xpress completa um ano

A Favela Brasil Xpress, empresa de inteligência logística com foco nas favelas, completa seu primeiro ano de atuação solucionando problemas de entregas de mercadorias dentro de Paraisópolis e em outras comunidades do Brasil, onde Correios e transportadoras contratadas pelas empresas de e-commerce não entram. 

A startup colocou o CEP das favelas no e-commerce brasileiro e levou inclusão social para quem não podia receber em casa suas compras feitas de forma on-line. Até o surgimento da empresa, os moradores de comunidades que realizavam compras pela internet, tinham que procurar algum jeito para receber as encomendas, como colocar o endereço de algum conhecido que não morasse na favela ou do trabalho para o recebimento  das mercadorias. 

A ideia de criar um negócio para desbloquear o CEP das favelas começou por meio do mapeamento do Comitê dos Presidentes de Rua para levar cestas básicas, máscaras e assistência às famílias cadastradas. O CEO e idealizador da startup, Giva Pereira, foi quem realizou, sozinho, as primeiras entregas. Após conseguir um investimento, por meio do G10 Bank Participações, pôde contratar colaboradores que residem na própria comunidade e que conhecem bem as ruas e vielas para a realização das entregas. Atualmente, a Favela Brasil Xpress gera renda e emprego para moradores de favelas e já atingiu o pico de mais de 300 funcionários para atender as demandas dos clientes das seis comunidades onde está presente.

A empresa de soluções em logísticas atende pequeno, médio e grande porte de e-commerce e conta com parcerias como: Americanas, Riachuelo, Total Express (Centauro, Netshoes, Amazon, Mercado Livre) e Via Varejo (Casas Bahia, Extra e Ponto Frio). Hoje, a Favela Brasil Xpress já está em seis bases: Paraisópolis, Heliópolis, Cidade Júlia, Capão Redondo, Diadema e Vila Cruzeiro. E até o final deste ano, a logística prevê a abertura de outras 50 unidades em favelas pelo Brasil. 

Foto Agência Cria Brasil