CEO do Emprega Comunidades, Rejane Santos concede entrevista ao Jornal Espaço do Povo

Pedagoga por formação, Rejane Santos, 36 anos, tem o empreendedorismo na veia. Ela, que já passou pela Presidência da Associação das Mulheres de Paraisópolis (AMP), é a fundadora e CEO do Emprega Comunidades, negócio de impacto social presente em diversas comunidades do país. 

 

Conhecido como o LinkedIn das Favelas, o Emprega Comunidades tem sido uma importante ponte para conectar empresas e moradores das favelas e, desde o início da pandemia, já foi responsável pela qualificação e recolocação de mais de 500 profissionais no mercado de trabalho.

 

O que é o Emprega Comunidades?

O Emprega Comunidades é um negócio de impacto social que atua em três frentes: a terceirização de mão de obra, a capacitação profissional e o recrutamento e seleção. Fazemos o atendimento ao candidato, um estudo do perfil e realizamos o cadastro na nossa plataforma para fazermos o encaminhamento para as empresas. 

Buscamos empresas, mas temos muitas empresas que já nos buscam. Temos vários parceiros tanto da área de recrutamento, que oferecem vagas, quanto na área de capacitação profissional. 

 

Qual tem sido o papel do Emprega Comunidades na retomada da economia? 

O Emprega Comunidades tem cumprido um papel muito importante de conectar as pessoas às vagas que surgem no mercado de trabalho. Além de conectar, preparamos essas pessoas para essas vagas, afinal, o mercado está cada vez mais exigente e os candidatos precisam se adaptar a essa nova realidade.

Assim como algumas profissões foram extintas, surgiram novas profissões, e nós estamos preparando essas pessoas para esse novo normal. 

Ensinamos o candidato na elaboração de um bom currículo, o ajudamos para que ele tenha uma boa apresentação, para que ele se vista adequadamente e também encontre uma vaga que esteja de acordo aos seus interesses. 

 

Como tem sido essa qualificação profissional oferecida pelo Emprega Comunidades? 

Além de fazer o recrutamento e seleção, promovemos a capacitação profissional por meio de parcerias. Oferecemos cursos de Inglês com foco em recepção; controlador de acesso e portaria; na área administrativa; operadores de caixa; cuidador de idosos; barman; garçom; camareira, entre outras, que são profissões que estão em alta e que as empresas buscam. Então estamos oferecendo cursos de acordo com a necessidade do mercado para aumentar a empregabilidade.

 

Qual a sensação de estar à frente de um trabalho tão importante de gerar emprego e renda dentro das favelas? 

É um sentimento de dever cumprido, de poder ajudar as pessoas para que elas tenham suas vidas transformadas. O emprego transforma a vida das pessoas, não é apenas um trabalho, você dá autonomia para as pessoas com uma renda. Eu fico muito feliz quando recebo aqui no Emprega algum candidato que vem me agradecer, ou que passa na rua e me agradece pela oportunidade de estar trabalhando e poder recomeçar sua vida. E essa é uma das missões do Emprega Comunidades, transformar vidas a partir da empregabilidade.

 

Como se deu a expansão do Emprega para outras comunidades do país? 

A nossa expansão tem sido de forma gradual. Nós estamos presentes em Paraisópolis e Heliópolis (SP), Coroadinho (MA) e Belo Horizonte (MG). Em todas as comunidades os problemas são os mesmos, são pessoas que estão fora do mercado de trabalho que buscam por oportunidades, capacitação profissional e apoio para se recolocar no mercado, mas que muitas vezes não conseguem acessar essas plataformas. 

 

Quais são os planos futuros para o Emprega Comunidades?

Nosso objetivo é estar em pelo menos dez comunidades do Brasil e transformar o processo seletivo em algo mais humanizado para que as pessoas consigam ter  acesso a essas vagas. O mercado oferece muitas vagas, mas ao mesmo tempo, temos muitas pessoas desempregadas. Então queremos preparar essas pessoas para acessar essas vagas. 

Queremos ser o braço social dentro das empresas. O nosso objetivo é reduzir 50% do trabalho que as grandes empresas têm para contratar, e nós já fazemos isso. O emprega faz esse filtro e conecta essas empresas aos candidatos.