Do laranja dos tijolos a uma paleta de cores

Projeto visa contribuir com a revitalização da comunidade de Paraisópolis

Por Talytha Cardoso

Aos poucos a favela de Paraisópolis vai criando vida com novas cores e novas construções. Do bloco, tijolos, massa corrida, cimento e muita força de vontade, novas mudanças no cenário da comunidade vão acontecendo a cada casa e comércio que vem sendo alcançados pelo Projeto Cores da Favela. 

 

Com seus tons alaranjados e crus dos tijolos baianos que compõem a cada construção, novas camadas de inclusão social, empreendedorismo e oportunidade de reviver o espaço vão surgindo. 

 

Cláudia de Silvério sabe bem a importância de uma boa oportunidade de estimular um sonho, comerciante há 5 anos e hoje empoderada de seu próprio comércio, tendo sido vendedora ambulante atendendo seus clientes na rua com seus lanches e bolos para garantir o sustento da família, se sente realizada por ter sido alcançada pelo projeto, relata aliviada pela benfeitoria feita no espaço. 

 

O projeto Cores da Favela tem o objetivo de revitalizar casas, comércios e áreas públicas com o intuito de valorizar o bairro, fortalece o comércio local e proporcionar qualidade de vida e moradia digna. Ele partiu da necessidade de evidenciar junto aos moradores da comunidade por meio do desejo de reacender o bairro de forma que fosse possível e acessível para toda a população. Todo o processo de transformação traz visibilidade, novos investimentos além da autoestima dos moradores ao se deparar com os novos tons, que surgem com a esperança de se viver num lugar que está se atualizando. 

 

Relatórios de estudos de casos feitos em grandes cidades como Sidney, Nova Iorque, Londres e outras metrópoles mostram como a iniciativa de revitalização contribui para requalificação e reabilitação dos espaços públicos.