Uma noção sobre o Oriente Médio e seus conflitos

Foto Reprodução

Por Gideão Idelfonso

Oriente médio e seus conflitos são frequentemente expostos em notícias de golpes, atentados e terrorismo. Síria, Iraque, Arábia Saudita, Irã, Afeganistão, entre outros são nações que escutamos falar na mídia, mas que de fato sabemos pouco sobre.  No pouco de conhecimento do assunto que tenho e lendo artigos sobre, é importante termos em mente que é uma região complexa e de conflitos históricos em que povos e religiões convivem em intenso conflito.
Os Árabes são povos predominantes no Oriente Médio, é possível encontrar indivíduos da mesma etnia histórica em regiões diversas, mas que de fato se conflitam, fazendo uma alusão às terras tupiniquins. É como se fosse duas organizadas de futebol e que seus indivíduos são brasileiros, mas possuem em certa medida valores e intenções diferentes.
Os Persas, Afegãos, turcos, Judeus, Palestinos, esse último está dentro de Israel na região da faixa de Gaza e são diferentes dos Judeus na sua língua, etnia e valores religiosos. E os curdos que estão espalhados por algumas regiões do Oriente Médio fecham a diversidade dos povos dessa região.
O Oriente Médio foi berço da criação de três grandes religiões que seguem um único Deus: o cristianismo, judaísmo, e islamismo. A cidade de Jerusalém, por exemplo, é disputada por essas religiões; para o cristianismo foi na Igreja do Santo Sepulcro que Jesus foi crucificado, para os Judeus, o Muro das Lamentações é o local considerado sagrado, enquanto para o Islâmicos o Domo da Rocha é o local de onde Maomé subiu ao céus.
Além das divergências religiosas e disputas de territórios considerados sagrados, há um aspecto econômico embutido nos conflitos da região que é a disputa por recursos naturais como água e petróleo. 65% das reservas de petróleo do planeta estão localizadas na região concentrada no golfo pérsico. O escoamento desse fóssil pode ser feito de forma terrestre ou marítima. O Canal de Suez, por exemplo, é um importante meio de transporte no Oriente Médio e Europa, que fica entre o mar mediterrâneo e o mar vermelho. O escoamento por terra ocorre também pela Síria, Iraque e Turquia e por via marítima pelo Irã, no canal de Ormuz. Por isso há grandes interesses políticos de grandes potências pela região, como Estados Unidos e Rússia.
Se pode dizer que o oriente médio é um dos locais mais conflituosos do mundo. A intolerância religiosa é base para esses conflitos, mas na atualidade não é só esse aspecto que explica a tensão na região, a conquista de territórios se faz de extrema importância para ampliação da diversidade econômica de alguns países da região. A democracia é embrionária, sistemas ditatoriais estão presentes e o conservadorismo tradicional é uma ferramenta de controle social, os jovens oferecem uma luz no fim do túnel para que a liberdade possa existir em um futuro que parece que não vai acontecer.    

Gideão Idelfonso

Cria de Paraisópolis, bacharel em Lazer e Turismo pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. Pesquisador com foco na periferia e sua dialética com o Lazer e Turismo. Teve contato com projetos de impacto social em Paraisópolis e em áreas da Zona Leste.