A meditação como forma de experimentar a realidade

Crédito: Nicolay Doychinov

Por Gideão Idelfonso

Por vezes estamos ansiosos, preocupados, a todo instante buscamos fugir dessa realidade angustiante com o auxílio de um copo de vinho, remédios, terapias. O nosso clamor pede socorro, paz, autossuficiência e serenidade. O passado é um tormento, o futuro uma ilusão, devemos é focar no agora, no momento presente e a ciência acredita que a meditação pode te ajudar nisso.
Hoje pela manhã resolvi meditar por poucos minutos e cada dia que passa aumento mais tempo a prática. Seria hipocrisia escrever sobre algo que não pratico, apesar de achar que a escrita me dá o poder de ser quem eu quiser. Ao acordar tome um banho, forre um cantinho com uma toalha, um local que te traga paz e silêncio, ritualize sua experiência meditativa, sente-se de pernas cruzadas: inspire e expire, sempre tendo cuidado para focar no presente momentâneo do ato, os pensamentos virão, atormentaram, mas foque na sua respiração e apenas a observe. 
Essa prática milenar vem me ajudando a olhar a realidade, ter conhecimento dos meus pensamentos e do mundo, me sinto mais calmo, racional. O mundo sempre me perturbou, não entendia o porque a minha realidade tinha tanta dor, sofrimento e entender que sou responsável em buscar essa mudança que machuca vem me fazendo buscar soluções que pouco são convencionais no senso comum social. 

Depois de um tempo de meditação a minha sensibilidade sensorial vem mudando, consigo observar quando e o motivo que estou com raiva, triste, alegre, passo a tomar conta no momento presente dessas sensações, aprendendo a cultivar quando for boa, e quando for ruim buscar soluções práticas e reais para aquele tormento. Hoje mais do que nunca precisamos nos conhecer melhor, e essa introspecção acredite pode te ajudar. 

A umas semanas atrás vi um documentário de presidiários em um complexo de Ribeirão das Neves. A meditação Vipassana é utilizada como técnica para levar a clareza aos detentos, são dez dias diretos nessa prática, inclusive existem retiros pelo Brasil que oferecem a experimentação. Ao observar os relatos dos prisioneiros foi constatado uma diminuição das ansiedades e melhor entendimento sobre seus atos perversos.
Essa técnica de meditação como outras não prega um olhar dogmático, um encontro com forças sobrenaturais, o encontro é com você mesmo. A meditação não é a solução para os problemas de 8 bilhões de pessoas pelo mundo, suas histórias e genes são diferentes, mas é um instrumento para conhecer melhor quem somos. 

O google, facebook, entre outras tecnologias se suspeitam conhecem nossas vontades, desejos e necessidades melhor do que nós mesmos, e isso vem sendo preocupante, visto as últimas eleições mundiais com sinais de manipulações de informações. Seja pela arte, esporte ou pela meditação, você precisa se conhecer melhor, antes que os algoritmos tomem conta da sua vida e da sua mente para todo sempre.

Gideão Idelfonso

Cria de Paraisópolis, bacharel em Lazer e Turismo pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. Pesquisador com foco na periferia e sua dialética com o Lazer e Turismo. Teve contato com projetos de impacto social em Paraisópolis e em áreas da Zona Leste.