Você se contrataria?

0

Caro Leitor,

Esta semana abordarei essa reflexão voltada ao mundo dos negócios.

Na internet, há diversos artigos acerca desta reflexão, esta é apenas mais uma delas, baseado no meu modo de ver as coisas e das vivências dessa nada mole vida!

O contratante e O Contratado tornam-se uma parceria, uma via de mão dupla, uma moeda de troca. Isso vale tanto para o trabalho do empreendedor independente como através de uma empresa privada.

Me é oferecido uma posição de trabalho, para prestar um serviço | entregar um produto e, em paralelo, se desenvolver | crescer e, com isso,  há uma remuneração por isso.

Durante esse processo, cada uma das partes vai revelando nuances, trazendo novas questões que podem ser acrescentadoras ou não. E, a partir de tudo isso, construindo a história de ambos. Isso mesmo: Ambos! Acho que as vezes isso é esquecido.

Pessoas são recursos naturais que, mesmo com a evolução da tecnologia e tal, continuarão sendo indispensáveis. Nada substituirá o calor das relações, o olho no olho, o abraço sincero, o aperto de mão. Os horários de almoço, as trocas de experiências, as relações construídas que se tornam amizades pra vida e, assim por diante.

Algo que sempre disse aos meus liderados: Esteja por inteiro, fazendo o seu melhor, cravando a sua marca, escrevendo a sua história. Pois, as vezes, apenas estamos e, apenas estar é um tempo mal aproveitado. Talvez esqueçamos que essa trajetória é mais nossa do que do outro.

Quando percebemos que o nosso tempo esta se esgotando, muitos acabam aderindo por estratégias desapropriadas, não só para empresa, como para si também. É fato que, integridade, honestidade – e derivados – deveria ser uma prática contínua e não somente usual. Aí, reflitamos:

Devemos nos basear no outro, para tomarmos as nossas decisões íntegras? É baseado no que nos é oferecido que reagimos? Não seria um alto risco com alta conseqüência?

Não há segredo. É simples.

No mundo dos negócios, assim como na vida, faça com o outro o que gostaria que fizessem contigo.

Fácil? R: Um treino diário.

Assegure-se que, sua parte foi concluída com primazia. Mesmo que ocorra algo que o faça sentir-se amputado, lembre-se da largatixa, que sente dor quando tem o seu rabo cortado mas, ele se regenera de forma completa e volta ao seu estado normal logo depois.

Em suma, o outro, assim como nós, estamos em constante aprendizado e aprimoramento.

Hoje, sou eu que me sinto fragilizado por alguma atitude mal elaborada,, o que não elimina a possibilidade de, amanhã, o causador da dor no outro ser a minha atitude ” mal elaborada”.

#Avante

Compartilhar.

Autor

É uma entusiasta do Turismo de Aventura e encantada pela Natureza. Atuou no Teatro. Conectada com a arte em suas diversas manifestações. Fã declarada de aeroportos e suas ricas conexões. Profissional do segmento de turismo, empreendedora, mentora e tem como Mestria o Ato de aconselhar.

Deixe uma resposta