SASF: Serviço de Assistência Social vai atender famílias de Paraisópolis

2

A partir de setembro os moradores de Paraisópolis, segunda maior comunidade de São Paulo, poderão ser atendidos pelo SASF – Serviço de Assistência Social à família e Proteção Social Básica, que vai oferecer diversos serviços às famílias de baixa renda.

Imagem1O SASF será mais uma ferramenta na luta contra a desigualdade social e vai proporcionar melhores condições de vida aos moradores, que contarão com visitas dos profissionais, orientação, além de palestras e oficinas voltadas às necessidades de cada família, que serão visitadas regularmente e estimuladas a participar de atividades individuais, grupais e comunitárias com a finalidade de promover o desenvolvimento e fortalecer vínculos familiares, comunitários e sociais. Mesmo com muitas melhorias na comunidade, ainda temos famílias vivendo em situação de extrema pobreza e que necessitam de um órgão que promova autonomia, acolhimento e que viabilize a geração de renda, o convívio grupal, familiar e social, e o SASF proporcionará isso”, se orgulhou Luzia Rosa, uma das colaboradoras do SASF.

Segundo Luzia, a chegada da unidade à comunidade é uma forma de levar um direito já garantido a todos os moradores. “Estaremos levando a essas famílias os direitos básicos que estão garantidos na constituição. Dar autonomia, melhorar a auto-estima e mostrar que eles são cidadãos de direito, mas que precisam reivindicá-los”, destacou.

Sob a direção da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis e supervisão do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), o SASF visa promover o acesso das famílias à rede socioassistencial, ao desenvolvimento de potencialidades, à participação e ganho de autonomia. Vai atuar também como identificador de demandas para o acesso a benefícios e programas de transferência de renda. “Com o serviço buscaremos fazer com que as famílias possam ter mais qualidade de vida, saúde, educação, moradia, cultura e lazer, e principalmente, fazer com que tenham seus direitos garantidos”, destacou Luzia.

O SASF irá atender as famílias encaminhadas pelo CRAS, que estão cadastradas no Bolsa Família; idosos e também pessoas com deficiência que recebam o benefício BPC – Benefício de Prestação Continuada, que funciona como uma aposentadoria. O idoso tem que ter acima de 65 anos e a pessoa com deficiência comprovar que não tem condições de trabalhar. Instalado no Condomínio E, o SASF vai oferecer atividades de acordo com o planejamento e vai atender às necessidades das 1000 famílias encaminhadas pelo CRAS.

“Será um trabalho em conjunto onde todos participarão do planejamento geral e cada um, em sua função, irá elaborar um plano de trabalho que vise trabalhar com a família, além da visita domiciliar, a acolhida, a convivência e a sobrevivência”, concluiu Luzia.

Quem pode participar?

Famílias ou pessoas beneficiárias de Programas de Transferência de Renda (PTR), como o Bolsa Família, por exemplo, prioritariamente aquelas em descumprimento de condicionalidades e benefícios assistenciais.

Pessoas idosas e pessoas com deficiência que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social, beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC); Famílias ou pessoas com precário ou nulo acesso aos serviços públicos, fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade, ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social identificada no território e validada pelo CRAS.

Compartilhar.

Autor

Jornalista da Agência Paraisópolis

2 Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: