Relações que aprisionam

0

Tenho refletido sobre a base das relações, de como tentamos aprisionar o outro dentro dos castelos perfeitos que levantamos. Cheios de comandos, fórmulas, regras, procedimentos, caso contrário, a vida – de ambos – tumultua, desestabiliza.

E, de um outro lado, há aquelas situações onde, nós | os outros se submetem a tudo – cravam penaltis – na ânsia de  marcar o gol e ser feliz para sempre…

Será?

Será que é assim mesmo a mecânica que dá certo?

A idealização, as expectativas lançadas ao outro, a “obrigação” de que tudo seja atendido, chega a ser assustador.

Isso acaba desencadeando a resistência de engatar relação “de verdade”. Involuntariamente, ativamos no outro a opção por relações momentâneas, descartáveis. Nossas atitudes impulsivas, podem gerar isso.
Quanto mais enjaularmos o outro dentro do nosso mundo perfeito – já construído e alicerçado sob

o nosso ângulo ideal – mais ele escorregará entre os dedos e diante de nosso nariz.

Somos seres livres, aptos à escolher.

Quando percebemos que os malabarismos estratégicos e milimetricamente calculados não garantem o resultado esperado, tomamos ciência que, as vezes, as ferramentas tornam-se dispensáveis e o deixar fluir, sem o controle remoto ligado, torna-se é a melhor saída. Afinal, é ilusório imaginar que, temos controle sobre o tempo e posse do outro.

Eu acredito no Amor.
Nas relações de verdade | enraizadas
No vento que traz as personagens principais no lugar e na hora certa

Na individualidade que precisa ser preservado

Na liberdade que precisa ser respeitada

O equilíbrio é sempre o mais recomendado tempero.

Nem ocioso, Nem Desmedido

Ame, na medida certa, nunca esquecendo que cada um é um universo a parte e que seja amar, tanto quanto você.

Compartilhar.

Autor

É uma entusiasta do Turismo de Aventura e encantada pela Natureza. Atuou no Teatro. Conectada com a arte em suas diversas manifestações. Fã declarada de aeroportos e suas ricas conexões. Profissional do segmento de turismo, empreendedora, mentora e tem como Mestria o Ato de aconselhar.

Deixe uma resposta