Mesmo com ponto de coleta, moradores descartam entulhos nas ruas de Paraisópolis

0

Um dos principais problemas encontrados em Paraisópolis é a quantidade de lixo  e entulhos deixados em diferentes pontos da comunidade. Isso é  resultado de uma sociedade que a cada dia consome mais e também, de acordo  a Agente vistor da prefeitura regional do Campo Limpo, Elaine Tomoiolo,  a falta de conscientização dos moradores que descartam lixos e entulhos em lugares inapropriados, mesmo tendo opções para descarregar em pontos como o Ecoponto, para restos de construções,  e a Central de triagem, para material reciclável. 

“Os pontos viciados de lixo existem por falta de consciência e por ser  cômodo, pois sabem que algum órgão de limpeza irá retirar”, comenta Elaine.

Responsável pela limpeza urbana das regiões sul e leste da cidade de São Paulo, o consórcio SOMA (Soluções em Meio Ambiente)  realiza  serviços de zeladoria,  varrendo ruas, desentupindo bueiros, cortando mato, entre outros.  A empresa também é responsável pela administração do Ecoponto Paraisópolis, localizado na Rua Deputado Laércio Corte.

Inaugurado há três anos, o Ecoponto recebe gratuitamente  resíduos de até um metro cúbico por dia, equivalente a uma caixa d’água de mil litros. No local podem ser descartados  restos de construção e demolição, móveis velhos, sobras de poda e materiais recicláveis em geral. A coleta acontece diariamente, de segunda a sábado das 6h às 22h e aos domingos e feriados das 06h às 18h.

Já materiais como  pneus, amianto, gesso, resíduos industriais e domiciliares, material elétrico, eletrônico e de informática, lâmpadas fluorescentes, tinta e material hospitalar não podem ser descartados no Ecoponto. Existem empresas exclusivamente para coletar esses tipos de materiais.  A  EcoUrbis, por exemplo,  é a concessionária responsável pela coleta e destinação adequada do lixo doméstico e o lixo hospitalar.

Um estudo divulgado em outubro de 2016 pela Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Especiais(Abrelpe) mostra que, em 2015, a produção de lixo no Brasil aumentou 1,7% em relação ao ano anterior. O total de Resíduos Sólidos Urbanos avançou de 78,6 milhões de toneladas para quase 80 milhões de toneladas. É fundamental que além dos serviços de limpeza urbana prestados em cada cidade, todos os cidadãos também contribua. Essa contribuição pode ser feita de diversas maneiras, uma delas é reavaliar hábitos de consumo, dando preferência a produtos em refis e que utilizem material reciclável e outra é participar da coleta seletiva.

Existem empresas que são especializadas na captação e revenda desse tipo de material, como a Central de Triagem, que separa materiais recicláveis para ser  vendidos para empresas interessadas e a renda é revertida para o pagamento dos cooperadores. Cada catador recebe, em média, um salário mínimo mensal.

 

Saiba como solicitar serviços  na Prefeitura Regional do Campo Limpo

 

A Prefeitura Regionais do Campo Limpo, entre outras atribuições, têm o papel de receber pedidos e reclamações da população, solucionar os problemas apontados, como cuidar da manutenção do sistema viário, da rede de drenagem, limpeza urbana, vigilância sanitária e epidemiológica entre outros.

Segundo Rui Roberto, coordenador de obras da prefeitura regional do Campo Limpo, o serviços  de tapa-buraco, por exemplo, são executados conforme as solicitações feitas através dos canais da Prefeitura. “Quando o munícipe identificar o problema ele pode acionar os mecanismos existente. A operação realiza da seguinte forma; recebida a reclamação é feita a programação para a empresa responsável para fazer o serviço”.

 

Canais de atendimento

 

-Telefone 156

-Pelo site da prefeitura

-Pelo aplicativo para celular SP156

-Pela praça de atendimento da Prefeitura Regional que fica na Av. Nossa Senhora do Bom Conselho, 59.

Compartilhar.

Autor

Deixe uma resposta