Marmita: Uma solução inteligente para a saúde financeira

0
Muitos trabalhadores, principalmente de São Paulo, acabam não conseguindo almoçar em casa devido à distância e tempo de almoço e muitos deles acabam adotando como solução o almoço em restaurantes.Porém, não são a alternativa mais saudável nem a mais econômica para se alimentar. Por isso, a marmita tem se tornado cada vez mais frequente na mesa de quem trabalha.
Os preços dos restaurantes variam de acordo com a região, porém quase sempre são altos e nem um pouco saudáveis. Existem regiões de São Paulo que para almoçar você gasta em média R$30,00 por dia, o que se torna algo insustentável financeiramente e podendo também impactar em indicadores de bem estar e saúde, afinal, em um restaurante você nunca sabe de fato qual a qualidade e marca dos ingredientes que estão sendo colocados na comida.
Para contextualizar mais a economia financeira, segundo o consultor de planejamento financeiro Augusto Saboia, um profissional que optar pela marmita pode conseguir economizar até R$ 5 mil por ano. Que sonho você realizaria com esse dinheiro?
Isso te inspira a colocar sua marmita em prática? Pensando nisso, pensei em algumas dicas que poderão te ajudar.
• Faça um cardápio semanal: não precisa ser elaborado, mas escreva esse cardápio para saber o que vai precisar comprar e preparar durante a semana.
• Priorize alimentos da estação. São mais baratos e com menos agrotóxico.
• Evite consumir bebidas durante as refeições. Mais barato e mais saudável.
• Invista em uma bolsa térmica para manter a qualidade dos alimentos.
• Tenha sempre 2 recipientes para levar comida: um para a comida quente e outro para a salada. Os recipientes de vidros são mais indicados.
• Como a ideia é deixar a refeição mais saudável é importante ter um critério na hora de montar seu cardápio. Uma referência é a do guia alimentar “My Plate” no qual sugere que 25% do prato seja com verduras, 25% do prato de legumes (podem ser crus em forma de salada ou cozidos ou refogados), 25% do prato de carboidratos e 25% do prato divididos em proteínas de origem animal e/ou vegetal. Com essa orientação, você terá uma alimentação super equilibrada!
Marmita não é difícil, porém exige mais organização e planejamento. Que tal fazer um teste e colocá-la em prática nos próximos 30 dias? Conte pra gente como foi e inspire novas pessoas a mudar também seus hábitos de consumo.
Bom apetite e boa economia!
VOCÊ SABIA?
Existe um jeito muito fácil, colorido, saudável e divertido de levar salada para o trabalho. É a SALADA DE POTE, uma salada feita em vidros e camadas. Veja só como é simples montá-la:
• Comece pelo molho.
• Em seguida, coloque legumes e verduras mais pesados e que podem ficar em contato com o molho (por exemplo, grão de bico, feijão, pepino).
• Coloque legumes e verduras que não podem ficar em contato com o molho (por exemplo, tomate, ervilha, milho etc.).
• Coloque folhas verdes, como rúcula, alface, manjericão etc.
• Coloque ingredientes leves e cortados em pedaços pequenos, como frutas em cubinhos, por exemplo.
• Por fim, acrescente grãos pequenos e sementes, como por exemplo linhaça e gergelim.
Compartilhar.

Autor

Gerente de sustentabilidade do Cartão Nova Paraisópolis e coordenadora do programa de educação financeira na comunidade Paraisópolis

Deixe uma resposta