Julia Drezza| A compra de roupa deve ser uma escolha consciente, econômica e sustentável

0
Há algum tempo a compra em brechós caiu na graça dos fashionistas juntamente com os bazares e compras de pequenos estilistas. Mas o foco desse texto é para ir além do estilo e te provocar a pensar sobre a decisão e seus hábitos de compras.
Não adianta parar de comprar de lojas fast fashion, as famosas lojas de departamento, e continuar agindo como uma consumidora de fast fashion. É preciso repensar o quanto está se gastando e a real necessidade de cada compra.
Veja alguns dados chocantes:
Apesar de utilizar apenas pouco mais de 2% da área total destinada à agricultura, a produção de algodão é responsável por cerca de 24% de todo o consumo de inseticidas e 11% dos pesticidas da agricultura. No Brasil, a estimativa de resíduos têxteis é de 175 mil toneladas/ano.
Já parou para pensar que a calça jeans que provavelmente você tem pendurada no guarda-roupa pode ter percorrido até 75 mil quilômetros pelo mundo antes de ser sua e, além disso, tem em sua produção trabalho infantil e escravo?
Por isso, antes de trazer uma peça nova para casa é importante se perguntar:
• Eu me sinto bem com essa roupa?
• Eu consigo usá-la em diferentes tipos de lugares?
• Eu consigo combinar com outras peças no meu guarda-roupa (pelo menos 3 peças)
• Nos próximos anos e lavagens ela vai continuar sendo bonita?
O consumo consciente está ligado ao conceito dos 3 R’s: reduzir, reciclar e reutilizar, por isso, antes de reciclar ou reutilizar foque na redução e entenda o que de fato é necessário. Mas se decidir comprar algo novo, priorize as marcas, artesãos e produtores locais. Isso colabora para o desenvolvimento da economia regional e gera emprego e renda localmente.
O consumo consciente nos provoca a expandir nosso modo de enxergar os processos de produção, buscar informações e fazer decisões mais assertivas sobre a real necessidade e tudo isso é uma atitude que ajuda o meio ambiente, as causas sociais e seu bolso.  Decidir conscientemente é assumir uma postura cidadã.
Compartilhar.

Autor

Gerente de sustentabilidade do Cartão Nova Paraisópolis e coordenadora do programa de educação financeira na comunidade Paraisópolis

Deixe uma resposta