James Brown e o nascimento do funk

0

A música gospel, o Soul, o  Rhythm and Blues,o Funk e disco-music tiveram um grande representante conhecido como mister dinamite, soul brother nº1, the godfather of soul seu nome James Joseph Brown Jr.

img-20161006-wa0022

James Brown é considerado o deus do Soul (Foto: Reprodução)

Nascido em 3 de maio de 1933, em Barnwell, uma cidade localizada no estado norte-americano de Carolina do Sul, num barracão que era típica moradia dos negros naqueles idos anos 1930 nos Estados Unidos, James nasceu tão pobre que só foi ter seu primeiro calçado aos 6 anos quando foi morar com sua tia Minnie em Augusta, na Georgia, após ter sido abandonado pela sua mãe.

Aos 7 anos, dançava e perambulava pelas ruas de Augusta atrás de alguns trocados e já que gostava de cantar e dançar, alegrava os soldados e ganhava uns trocados. Diz a lenda que quebrou as 2 pernas e com as pernas engessadas fez um “touchdown” na escola onde jogava futebol americano. Aos 16 anos, caiu na delinquência sendo detido e enquanto preso descobriu sua vocação e paixão pela música e formou um quarteto gospel chamado “Music Box”. Aos 19 anos, foi liberado do reformatório indo morar com uma família religiosa na cidade de Toccoa, também na Georgia, que bancou a soltura dele e assim o jovem James Brown logo se casaria com a cantora gospel Velma. E enquanto o gospel ocupava sua vida, outro estilo musical começava a conquistar o sul e chegou a Toccoa. O novo estilo musical chamava-se “Jump Music” ou “Rhythm and Blues”. Com o ritmo acelerado marcava a percussão e metais e os principais grupos eram os 5 Royales, The spaniels, The cloves e os grandes destaques como Little Richard e The Upsetters. Ele tentou política e nada, religião e nada, e percebeu que a única maneira de atingir as pessoas era através da música.

img-20161006-wa0021

A música “Please, Please, Please” levava o público ao delírio tanto que costumava cantar 3 vezes por show (Foto: Reprodução)

James Brown percebeu a mudança e com o amigo Bobby Bird formou o The Flames, a música “Please, please, please” levava o público ao delírio tanto que costumava cantar 3 vezes por show. Em 4 de fevereiro de 1956, James Brown e The Famous Flames viajaram 1.600km para gravarem a sessão de estúdio definitiva na King Studios em Cincinatti, Ohio.

Ele costumava multar seus músicos em 5,10,15,20 dólares se algo não o agradasse como se apresentar com a roupa amassada ou tocar notas fora das ensaiadas.  No ano de 1962, gravou no famoso teatro Apollo no bairro negro do Harlem, NY, onde se apresentava pela 7ª  vez, seu álbum “Live at the apollo” fazendo um tremendo sucesso alcançando a 2ª posição na parada R&B/Pop da Billboard e Cashbox, ficando atrás dos The Beach Boys com o hit “Surfin´USA”, ficando mais de 1 ano na parada musical.

Em 1964, James brown foi convidado a participar de um programa de televisão ao lado do the Beach Boys e Rolling Stones para um público de maioria branca, o T.A.M.I show, na costa oeste, e na platéia estavam Diana Ross e Marvin Gaye e ele dançou como nunca, atraindo a atenção do público jovem branco e ainda nesse ano foi eleito o artista R&B do ano e foi parar no cinema com os astros brancos do momento Lesley Gore e Frankie Avalon.

Enquanto isso, o subúrbio de Los Angeles e os EUA inteiro ferviam com o racismo por toda parte e James Brown lançou a revolucionária “Papa´s Got a Brand New Bag” precursora do funk gravada em menos de 1 hora e sucesso de vendas em todo os EUA, sucesso total.

O sucesso trouxe a riqueza, certa vez foi ao banco descontar um cheque de us$300 mil dólares que havia ganhado, não tinha conta em banco porém abriu sua conta e logo juntou us$6 milhões de dólares e comprou estações de rádio como a WRDW-Augusta de sua propriedade na época, tinha várias mansões e ainda abriu uma rede de restaurantes e hotéis, a “Gold Platter”. Também sempre apoiou ações afirmativas para a comunidade afro-americana e ainda teve um jatinho particular.

Em 1968, quando dr. Martin Luther King Jr foi assassinado no Hotel Lorraine, em 4 de abril, no Memphis, Tennesse, a tensão racial entre negros e brancos aumentou. Lojas foram saqueadas por todo o país e o clima de medo pairava no ar.  James Brown e sua banda estavam em Boston para fazer show dia 5 e não cancelaram, mas o governo temia um surto de violência no show no Boston Garden. Então, ele se reuniu com o prefeito de Boston, Kevin White, e pediu que ele cobrisse os gastos da banda e o ingresso não seria cobrado e seria televisionado ao vivo para todo o país sem causar tumultos nas ruas. Ele cobrou us$60 mil dólares e ainda prestou homenagem a dr. Martin Luther King Jr, por quem tinha enorme admiração junto com Malcolm-X. Tinha muito orgulho de ser afro-americano.

Com os anos ficou milionário e conhecido como o artista que mais trabalhava no show business porém devia ao governo americano us$4,5 milhões de dólares que passou para us$17,3 milhões em 7 anos, levando James a perder tudo, rádios, restaurantes, seu avião foi confiscado em 1980.  Com a carreira sem brilho surgiu uma oportunidade no filme “The Blues Brothers” ao lado de Aretha Franklin e Ray Charles, filme que revitalizou sua carreira novamente e o levou às paradas nos anos 80 com o hit “Living In America” tema do filme Rocky II, trazendo o de novo aos holofotes. E, durante sua participação num programa de televisão conheceu sua 3ª esposa, Adriene Rodriguez, que trabalhava no programa “Solid Gold” como cabeleireira. O casamento não durou muito e, em 1994, casou-se com sua 4ª esposa, que como a anterior o acusava de violência doméstica.

James Brown faleceu em atlanta, em 25 de dezembro de 2006, mas deixou um legado musical extremamente rico seja o gospel, soul, R&B, funk ou disco-music e todos os músicos que vieram depois mamaram em sua fonte.

Compartilhar.

Autor

Paulo Brown é produtor e apresentador de “Grooving”, aos domingos às 10h00 na Rádio Nova Paraisópolis 87,5 FM

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: