Informações de rótulo: Aquelas letrinhas pequenas e difíceis de ler

0

Você presta atenção na embalagem dos alimentos? É bem comum prestar atenção apenas nos desenhos e informações em letras grandes na hora de escolher ou reconhecer (propagandas e comercial de TV) os alimentos de pacotinho para compra, mas são as letrinhas escondidas na parte de trás que carregam as informações importantes. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão responsável pela regularização das informações que devem ser colocadas nos rótulos e tem como objetivo atender as necessidades dos consumidores, como o direito de saber a composição do vai consumir para que faça escolhas conscientes. Por isso a importância de ler sempre o rótulo como critério de escolha na compra desses alimentos de pacotinho.

As primeiras informações importantes são data de fabricação e de validade, que devem estar em números, sendo que a data de fabricação deve ser apresentada como dia, mês e ano. Quando o produto tiver validade menor do que 3 meses, ela pode ser apresentada como dia e mês e quando for maior do que três meses como mês e ano (figura 1).

Com a validade dentro no prazo, o primeiro passo na avaliação da qualidade do produto é a lista de ingredientes, que devem ser colocados de forma decrescente, ou seja, o primeiro ingrediente da lista é aquele que está presente em maior quantidade e o último em menor quantidade. Alimentos únicos como arroz, feijão e açúcar não precisam de lista de ingredientes. Quando começar a prestar atenção nisso, você vai perceber que muitos alimentos contem ingredientes que não podem ser reconhecidos como comida, os nomes são estranhos ou na forma de siglas, por exemplo, corante amarelo crepúsculo, tartrazina, E410, metil-celulose hidroxipropil, carragena, sorbatos, ácido benzoico, nitratos e nitritos. Essas substâncias diferentes são os aditivos alimentares, ou seja, corantes, estabilizantes e conservantes, que estão presentes principalmente nos refrigerantes, salgadinhos, balas, sucos em pó e de caixinha, biscoitos recheados, salsichas e linguiças. Infelizmente, essas substâncias podem modificar o funcionamento do nosso corpo de forma negativa, induzindo o desenvolvimento de diversas doenças, como câncer. Por isso, evite ao máximo qualquer alimento com ingredientes que não são reconhecidos como comida de verdade.

Outro fator importante na leitura da lista de ingredientes é reconhecer as variações para o açúcar, que pode ser apresentado como sacarose, maltose, xarope de milho, xarope de frutose, frutose, glicose, glicose invertida, maltodextrina, melado ou açúcar invertido. Se um desses ingredientes estiver entre os primeiros da lista, esse é um produto rico em açúcar. Além disso, nos últimos anos, a procura pela alimentação saudável e por produtos que se encaixam nessa categoria estimulou as empresas na busca por produtos de pacotinho com “cara de saudável” e com esse apelo na embalagem. Mas nem sempre esses produtos são realmente indicados para consumo frequente pela alta concentração de adoçantes artificiais ou substituição do açúcar por variações ou por gordura na composição do produto. O uso de adoçantes artificiais pode ser indicado (eu sempre oriento simplesmente retirar o açúcar) em pequena quantidade apenas para pessoas com diabetes, até mesmo porque um dos fatores da alimentação balanceada para todas as pessoas é a redução do consumo de açúcares e doces.

Além da lista de ingredientes, o rótulo também a apresenta o valor energético e a quantidade de alguns nutrientes com base na porção estabelecida em medidas caseiras em peso e em porcentagem do consumo de 2000kcal diárias (VD). O valor energético medido em kcal é a quantidade de energia que o corpo pode obter a partir da porção do alimento, sendo que sua necessidade energética pode ser maior ou menor do que 2000kcal ao dia, mas as quantidades de nutrientes reguladores (vitaminas e minerais) são bem semelhantes, por isso podem ser usadas como comparativo. Por exemplo, entre dois produtos de características semelhantes, o que apresentar maior %VD de vitaminas e minerais é melhor para a saúde.

informacoes_rotulo

Em seguida, estão listados carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, sódio, vitaminas e minerais.

– Os carboidratos são a principal fonte energética, especialmente para o cérebro, e pode ser encontrado no arroz, nas massas, pães e doces.

– As proteínas são construtoras, fazem parte dos músculos e órgãos, estão presentes nas carnes, feijões, castanhas e leite.

– As gorduras também são fonte de energia, além de melhorar a absorção dos nutrientes reguladores (diversas vitaminas) e participar da síntese de hormônios, por isso são essenciais em pequena quantidade. As gorduras estão presentes especialmente nos óleos vegetais (soja, milho, girassol, oliva), carnes, embutidos, margarina e na manteiga. O consumo frequente de alimentos fonte de gordura saturada ou trans (linguiça, bolacha recheada, margarina, salgadinhos, carnes gordurosas) pode desencadear alterações no colesterol e arteriosclerose, portanto é melhor evitar alimentos com alta concentração desse tipo de gordura. Prefira alimentos fonte de gordura vegetal, por exemplo, abacate quando estiver na época, óleos vegetais e castanhas (amendoim, castanha de caju).

– As fibras são essenciais para a saúde, pois melhoram o funcionamento do intestino e regulam as bactérias que vivem ali, por isso opções com mais fibra são mais interessantes do que aquelas pobres nesse composto.

– O sódio é um mineral importante de ser monitorado pelo risco do consumo em excesso, que pode ser inflamatório e influenciar a pressão arterial.

– Os nutrientes reguladores (vitaminas e minerais), controlam o bom funcionamento do nosso corpo e estão presentes em maior quantidade nas frutas, verduras e legumes, por isso é importante consumir diariamente alimentos frescos e não apenas os de pacotinho.

Em resumo, o ideal para uma vida mais saudável é descascar mais e desembalar menos, mas sempre que precisar consumir alimentos de pacotinho busque aqueles com menor numero de ingredientes, que todos os ingredientes sejam encontrados no mercado (e reconhecidos como comida de verdade), com menor quantidade de açúcar, gordura saturada, gordura trans e sódio e maior quantidade de fibras, vitaminas e minerais.

Ufa! Entender os rótulos pode parecer um pouco complicado, pois são muitas informações, mas quando você faz isso com frequência acaba se acostumando e passa a ser fácil! Ou seja, crie esse hábito, sua saúde agradece!

Compartilhar.

Autor

Karelin Cavallari é nutricionista funcional e especialista em controle metabólico e fisiologia do exercício.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: