Horta orgânica ganha espaço na laje de Paraisópolis

0
Ter horta em casa garante a seus moradores uma vida saudável, pois você mesmo planta e cuida das hortaliças e temperos, além de embelezar o ambiente e melhorar o ar.
Há esperança para os moradores de Paraisópolis que sofrem com a falta de espaço, pois em qualquer ambiente é possível se fazer uma horta. Pensando nisso que o Instituto Stop Hunger, em parceria com a Associação das Mulheres de Paraisópolis, do Instituto Escola do Povo e da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis, começou o projeto Horta na Laje.
“Mais do que trabalho no combate à fome e à má nutrição, o projeto pretende dar a oportunidade para que estas pessoas desenvolvam habilidades para plantar, cuidar e semear. Na medida em que se percebe nas comunidades a necessidade de se ter essa ação e elas já estiverem prontas para receber o assistencialismo de um projeto de empoderamento e capacitação”, destaca Fernando Cosenza, presidente do Instituto Stop Hunger.
A primeira horta, esta comunitária, foi implantada na sede da União dos Moradores de Paraisópolis. O foco é dar treinamento em técnicas de plantio no vaso, para que possam reproduzi-las nas lajes de suas casas.
Assim, pode dar vida a lajes vazias e podendo produzir hortaliças para o consumo e até ajudar na redução de gastos e ocupar cidadãos desempregados que moram na comunidade.
“É um trabalho de educação ambiental e também voltado para a questão da alimentação. Fala-se que em Paraisópolis não existe espaço de lazer, mas a gente identificou que existem milhares de metros quadrados de lajes que podem ser utilizados, tanto para fazer uma festa, como também uma horta”, explica Gilson Rodrigues, idealizador do projeto e presidente da Escola do Povo.
As hortas comunitárias proporcionam diversas vantagens, como geração de renda, trabalho para os desempregados, qualidade de vida e o contato com a natureza.
Compartilhar.

Autor

Deixe uma resposta