Homens utilizam o maior símbolo masculino em combate ao câncer de próstata

0
Conhecido como “Novembro Azul”, o mês é dedicado ao combate do câncer de próstata, e promove diversas campanhas de conscientização sobre a doença (Foto: Reprodução)

Conhecido como “Novembro Azul”, o mês é dedicado ao combate do câncer de próstata e promove diversas campanhas de conscientização sobre a doença (Foto: Reprodução)

Por Keli Gois

Celebrado durante o mês mundial de combate ao câncer de próstata, o Novembro Azul faz parte da campanha “Um Toque, Um Drible” e tem como objetivo combater a doença e promover mudanças de paradigmas em relação à realização do exame.

No novembro azul, ao invés do laço (símbolo utilizado para a prevenção do câncer de mama), o bigode é que tem espaço em diversas instituições
que, em sinal de apoio a prevenção à doença, penduram bigodes em suas fachadas.

Apesar de ser o segundo câncer mais comum entre homens e ser um dos maiores causadores de mortes em todo o mundo, o câncer de próstata ainda parece ser tabu para muitos homens que, por preconceito ou receio em fazer o exame de toque, deixam de cuidar da saúde. A maioria dos homens deixa de realizar o exame preventivo por medo do toque retal, muitos deles, inclusive, acreditam que o exame é dolorido e não admitem um contato do tipo com o especialista. “Infelizmente, alguns mitos, tabus e conceitos machistas ainda impedem que os homens cuidem bem da saúde. O exame de toque retal é desconfortável, mas é rápido e não provoca dor”, explica a presidente do Instituto Oncoguia,
Luciana Holtz.

José Vieira da Cruz sabe muito bem os transtornos ocasionados pelo câncer de próstata. Aos 71 anos ele luta contra a doença, detectada há dois anos. O aposentado conta que nunca pensou em realizar o exame de próstata, ele até sabe de casos de alguns conhecidos que tiveram a doença, mas nunca procurou o médico para fazer o exame. “Quando recebemos a notícia, foi uma reação muito grande, nós paramos, tomamos fôlego e pensamos: Seja o que Deus quiser. Eu não me apavorei e mantive a calma”, revelou.

Vivendo na comunidade há 26 anos, José nunca gostou muito de ir ao médico e reconhece que o apoio dos agentes comunitários de saúde foi essencial para que ele detectasse a doença. “Sempre as agentes de saúde falavam que fazer exames era muito bom, mas eu não dava ouvidos. Elas sempre me alertaram que eu tinha que fazer o exame de próstata. Eu não sabia nem o que era e não queria fazer o exame de jeito nenhum, contou.

Essa falta de informação e até mesmo a falta de vontade em realizar não só o exame de próstata, como outros exames é o que faz com que muitos
homens não tenham a preocupação de cuidar da saúde. “A informação é elemento fundamental para que as pessoas se conscientizem da importância de exames preventivos. Se há alguns anos o câncer era recebido como sentença de morte, hoje é uma doença que pode ser tratada e curada, em grande parte dos casos, graças ao diagnóstico precoce”, esclareceu Luciana.

O câncer de próstata é uma doença silenciosa, em estágio inicial, geralmente não causa sintomas, por isso é mais frequentemente detectado pelo
exame de toque.”Na grande maioria dos casos, os sintomas estão relacionados à obstrução de urina e infecção urinária. São sintomas mais comuns: micção frequente; fluxo urinário fraco ou interrompido; sangue na urina; vontade de urinar frequentemente à noite; sangue no líquido seminal, além de dor ou ardor durante a micção”, destaca Luciana.

Justamente por não ter sentido nenhum dos sintomas, José nunca imaginou que poderia ter câncer de próstata. Hoje, após conviver com a doença e realizar o tratamento, José reconhece que o exame foi o que salvou sua vida e lhe proporcionou um tratamento a tempo. Se fosse hoje, ele conta que teria uma outra visão sobre o exame e faria novamente. “Eu estou levando a vida numa boa. Hoje o que eu digo é que todos os homens façam o exame, porque se não fizer, a doença vem e algumas vezes você não sente nada”, concluiu.

A hora e a vez do Bigode

Com o objetivo de chamar a atenção e conscientizar o público masculino, a Fundação Movember promove diversas iniciativas para arrecadar fundos para a luta contra o câncer de próstata e outras doenças masculinas. O bigode, principal símbolo masculino, ganha força no Movember, que promove uma maratona do bigode, quando homens de todo o mundo fazem upload de fotos que registram as fases de seus bigodes e as suas histórias.

Compartilhar.

Autor

Jornalista da Agência Paraisópolis

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: