Grávidas devem tomar cuidado com o zika vírus

0

A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que já são cerca de 4 mil infectados pelo vírus zika nas Américas. OMS informou ainda  que o vírus parece estar se espalhando tão rapidamente na área por dois motivos: primeiro, é uma nova doença na região e a população não tem imunidade e, por outro, o zika é transmitido principalmente pela picada do mosquito Aedes Aegypti, que vive em todos os países do Norte e do Sul, exceto no Canadá e Chile, e também transmite a dengue, chikungunya, febre amarela e febre do Nilo Ocidental.

Grávidas e gestantes talvez sejam o grupo mais alarmado pelo aumento de infectados pelo vírus zika. O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) já confirmaram que a infecção causada por este microorganismo está mesmo relacionada aos casos de microcefalia e  também a outras síndromes neurológicas como a de Guillain-Barré. O problema é que ainda se sabe muito pouco sobre como combater essa epidemia. É a primeira vez que o zika e a microcefalia aparecem interrelacionados, portanto não existem referências na literatura – nem para o diagnóstico, nem para o tratamento.

O tempo quente e as chuvas podem propiciar o aumento da proliferação do mosquito, por isso, é importante tomar muito cuidado e seguir algumas  orientações para eliminar focos.  Gestantes devem usar roupas que cubram o máximo possível do corpo como calça e camisas de manga longa. Elas evitam o contato do mosquito com a pele. Também é importante passar  repelente pelo menos três vezes ao dia em todo o corpo e repor sempre que molhar a pele ou  suar muito. Pernas e braços devem ter atenção especial.

Reforce os cuidados para evitar o mosquito

Para a prevenção  é fundamental evitar os locais que podem armazenar água limpa parada e evitar as picadas do mosquito, por isso é recomendado:

  • Virar garrafas vazias com a tampa para baixo;
  • Não deixar entulho no quintal ou nas ruas;
  • Cobrir a caixa d’água e piscinas;
  • Guardar baldes virados para baixo;
  • Varrer a água parada, inclusive a das lajes;
  • Colocar terra ou areia nos pratos de vasos de planta;
  • Retirar as folhas e sujeira de calhas que dificultam o escoamento da água;
  • Lavar todas as semanas baldes e tanques que armazenam água;
  • Se tiver plantas aquáticas, lave com água e sabão a parte de dentro do vaso, todas as semanas;
  • Manter a lata de lixo devidamente tampada;
  • Guardar pneus em locais cobertos, longe da chuva. Faça furos na parte de baixo ou entregue no serviço de limpeza;
  • Jogar no lixo cascas de coco, latas de refrigerantes, copo plástico, garrafas, embalagens, etc;
  • Manter poços de água devidamente tampados;
  • Ralos com pouco uso: colocar um plástico para vedá-lo e jogar água sanitária 2 vezes por semana;
  • Diminuir a quantidade de bebedouros de cães, gatos e passarinhos. Escová-los quando trocar a água;
  • Manter o aquário devidamente fechado;
  • Jogar diariamente borra de café no solo, jardins, hortas e dentro de flores, como o copo d’água ou bromélias, porque este é um inseticida natural que mata a larva do mosquito;
  • Lavar as bromélias ou plantas que acumulam água 2 vezes por semana;
  • Muros com cacos de vidro: colocar massa ou areia para evita que a água da chuva se acumule;
  • Verificar se há água acumulada nas bandejas dos aparelhos de ar-condicionado.
  • Utilizar repelente de insetos diariamente;
  • Usar calça comprida e sapato fechado, pois o mosquito tem o hábito de picar os pés e as pernas;
  • Colocar telas de proteção nas janelas;
  • Usar mosquiteiros na cama para dormir;
  • Colocar vasos de planta citronela próximo à porta de casa e das janelas, pois ela repele o mosquito;
  • Acender todos os dias uma vela de citronela em cada cômodo da casa.

Fonte: Tua Saúde

 

Compartilhar.

Autor

Francisca Rodrigues é jornalista, repórter do jornal Espaço do Povo, apresentadora do programa Meia Prosa (Rádio Nova Paraisópolis, 87.5FM) e assessora de comunicação do Luau Paraisópolis.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: