Evelin Coutinho | A afetividade é de suma importância no desenvolvimento infantil

0

Mamãe dá um beijinho pra sarar?!

Quantas vezes ouvimos esta frase diante de um tropeço, do arranhão ou daquela queda de bicicleta que o coração dos que presenciaram quase saltaram pela boca?

O beijinho nas crianças recebido por pessoas que representam um sentido afetivo especial tem o poder de: aliviar a dor, acalmar as emoções e proporcionar o aconchego, como um retorno ao útero de tão acolhedor.

O que há de tão poderoso no beijinho para sarar?

Entendemos que comunicação humana não se limita a linguagem verbal, nós também nos comunicamos e nos expressamos por meio do contato físico. Este inicia- se ainda no útero, quando o bebê é UM com sua mãe. Após o nascimento é imprescindível que o contato corpo a corpo permaneça, isto ocorre instintivamente na amamentação, no embalo para dormir, no carinho da admiração. Qual mamãe nunca experienciou ter o bebê dormindo tão lindamente no colo, mas logo que é deitado no berço desperta procurando o conforto do calor humano.

Ao passar dos meses e dos anos este contato físico fica menos intenso, porém este vínculo afetivo ainda é fundamental para que a criança venha interagir com o mundo a sua volta de maneira autêntica e confiante.

Quando a criança diz: “estou com medo, mamãe”, e esta mãe prontamente a abraça; este abraço é a tradução de que tudo vai ficar bem; esta criança então sente esse medo, como que em um mistério desaparecer, enchendo-se de coragem. Cada beijo recebido antes de dormir, é a expressão de que há alguém que a ama e se importa com a sua existência. A cada caminhada de mãos dadas é a sensação de que está com alguém que a pode guiar, com a certeza de que chegará ao destino e que na estrada da vida não estará sozinha. Em cada toque de mão que recebem quando executam uma tarefa, fazem um gol, guardam os brinquedos, é um discurso de que: ela é capaz e pode conquistar o mundo! A afetividade é de suma importância no desenvolvimento infantil, é uma força transmitida visceralmente, mas que resulta no fortalecimento emocional, proporcionando a internalização psíquica de que: para cada problema existe uma solução, de que para cada dor é possível a superação.

A linguagem afetiva quando expressa no contato físico é uma sinergia capaz de transmitir mensagens importantes, que atribui sentido a existência, despertando o interesse em viver e desfrutar o melhor da vida, que é Amar.

Por isso papais, mamães e cuidadores lembrem-se: no contato humano tudo tem um sentido, pois todos entendem universalmente a linguagem do amor. E esta linguagem continua curando desde eras passadas. Pois como dizia Piaget:  o humano pode curar o humano!

Compartilhar.

Autor

Mãe, psicóloga clínica, professora de teologia, psicoteologia e amiga que preza por um viver com contentamento. Apaixonada pela essência da vida, tem se dedicado na compreensão dos sentimentos e comportamentos que compõem as relações humanas, com objetivo de colaborar no processo de crescimento emocional e num desenvolvimento saudável do convívio social.

Deixe uma resposta