Cristina Josefa | O resgate na Tailândia e a lição sobre humanidade

0

Seria mais um dia de aventura – em que ninguém espera que seja trágica. Mas, ela, às vezes, vem, sem aviso, sem escolha, te encurrala, te aprisiona. Aí vemos o quão pequeno e indefesos somos. O mundo se sensibilizou com o resgate dos “Javalis Selvagens”.

Por muitos momentos, vestimos a roupa da mãe, sentimos o arrepio da insegurança, abraçamos com força a esperança, choramos ao ler as cartas – que mesmo no caos, apresentava a calmaria e paciência de quem sofria, de perto – e, finalmente, soltamos a voz para se alegrar com a vitória da humanidade.

Por alguns dias, o mundo leu – ao vivo e sem cor – cada matéria desse livro rico em aprendizado. E com isso aprendemos como a vida tem valor!

Por que a desperdiçamos com tão pouco? Por que permitimos que o poder, o dinheiro, a ganância  nos comande?

A mobilização e a união de voluntários de vários lugares do planeta se tornou um “case de sucesso planetário” que deveria ser tema em todos os cantos do mundo.

Palavras não definem! Basta estar sensível para, incansavelmente, reaprender e reaprender as primícias da existência.

Os Tailandeses ensinaram a cartilha de como viver. Uma filosofia proliferada e vivida: Todo ser vivo merece ser respeitado. Eles comprovaram isso ao mundo, afinal, nada vale a teoria sem a prática, não é mesmo? Toda ajuda foi bem vinda, recebida, de perto, de longe, cada uma com seu impacto e, o mais incrível, na mesma direção!

Absolutamente, é incrível como o BEM tem a força transformadora. O Bem Move! E você, quais lições aprendeu?

Compartilhar.

Autor

É uma entusiasta do Turismo de Aventura e encantada pela Natureza. Atuou no Teatro. Conectada com a arte em suas diversas manifestações. Fã declarada de aeroportos e suas ricas conexões. Profissional do segmento de turismo, empreendedora, mentora e tem como Mestria o Ato de aconselhar.

Deixe uma resposta