A coragem e simplicidade por trás de um migrante nordestino em Paraisópolis

2

Por Keli Gois

Toninho saiu de sua cidade natal aos noves anos de idade para trabalhar como cortador de cana e anos mais tarde tornou-se um grande empresário (Foto: Francisca Rodrigues)

Toninho saiu de sua cidade natal aos noves anos de idade para trabalhar como cortador de cana e anos mais tarde tornou-se um grande empresário em Paraisópolis  (Foto: Francisca Rodrigues)

A busca por uma vida melhor foi o que trouxe o Pernambucano Antonio Cavalcante de Melo, 58, chamado carinhosamente de Toninho, a vir para Paraisópolis,  comunidade em que vive há mais de 20 anos, onde criou cinco filhos e tornou-se um grande empresário no ramo de móveis.

Quem vê esse homem simpático, simples, alegre e coberto de cordões de ouro, não imagina os desafios que ele enfrentou desde a infância, quando, aos nove anos de idade saiu de sua cidade natal para trabalhar como cortador de cana em Alagoas. O pai faleceu seis meses depois de o filho ter vindo para São Paulo. A mãe chegou a viver com ele e a irmã em Paraisópolis, onde faleceu anos depois.

O que Toninho não sabia era que toda a experiência adquirida em São Paulo, quando trabalhou em uma loja de móveis, anos mais tarde, seria um degrau que o levaria a tornar-se o primeiro vendedor de móveis em uma das maiores comunidades do Brasil. “Eu sai em busca de uma vida melhor, lá a nossa vida era muito difícil e aqui eu enxergava chances”, contou ele.

Quando chegou em Paraisópolis, Toninho trouxe também a esposa e os filhos pequenos. Sem ter onde morar, a solução foi trocar o seu Fusca 73 por um barraco, onde passou a viver com a família e na esperança de ter um futuro melhor, trabalhou durante cinco anos como montador em uma loja de móveis. “Quando eu cheguei em Paraisópolis eu não tinha nada, depois conquistei o fusca e troquei pela casa”, relembrou.

Montar uma loja e vender móveis aconteceu por acaso. Os móveis velhos que os clientes não queriam eram doados ou comprados por Toninho no período em que trabalhou como montador em uma rede de móveis. “Um dia eu montei uma caminha no quintal e uma mulher viu e comprou, daí, passei a vender móveis usados no quintal da minha mo”, explicou.

Apesar de vender móveis usados, com o passar do tempo os clientes começaram a procurar também os novos. “Eu fui o primeiro a vender móveis em Paraisópolis. Não tinha ninguém que vendia, então, todo mundo comprava comigo. Como eu não tinha firma aberta, comprava de outras lojas. Houve época em que eu tinha 71 carnês”, relembrou.

Foto Arquivo pessoal

Sem ter onde morar, Toninho trocou seu Fusca 73 por um barraco, onde passou a viver com a família na esperança de ter um futuro melhor (Foto: Arquivo pessoal)

Morador e comerciante de Paraisópolis há mais de 20 anos, Toninho reconhece a importância de ter vindo para a comunidade. “Quem me ajudou muito foi a população de Paraisópolis, que ia pedindo móveis novos. Eu ajudei no crescimento da comunidade e a comunidade fez com que eu crescesse, foi um retorno”, destacou.

Para ele, a confiança em seus clientes foi o que o tornou um grande empresário. “Antigamente eu vendia pelo caderno, anotava o nome e o endereço do cliente. Inicialmente foi um pouco difícil, eu tive muita dificuldade com a inadimplência, mas acredito que se eu não tivesse trabalhado dessa forma eu não estaria onde estou hoje. Eu confiei em todo mundo, e confiança foi o que me fez estar aqui”, se orgulhou.

Um exemplo de homem, que como muitos nordestinos, veio para São Paulo ganhar a vida, Toninho afirma que o mais importante é ter vontade e coragem para encarar a vida “Tudo que você fizer na vida tem que ter fé em Deus primeiro, porque assim os seus caminhos se abrem. É isso que eu tento passar para os meus filhos: trabalhar para conquistar uma vida mais digna e melhor”, finalizou.

Compartilhar.

Autor

Jornalista da Agência Paraisópolis

2 Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: